Uma história de dedicação à medicina e à Santa Casa

Aos 93 anos, Dr. Gilberto Roseiro, gastroenterologista, tem um história de grandes conquistas na Santa Casa de Ribeirão Preto. São 68 anos de dedicação aos pacientes do hospital, ele acompanhou de perto várias mudanças da medicina, do atendimento e principalmente da instituição.

Formado em medicina na Universidade do Rio de Janeiro, em 1949, Roseiro, natural de Pontal (cidade que viveu até os quatro meses), considera-se um ribeirão-pretano de coração, assim que concluiu os estudos voltou para Ribeirão Preto e fez internato (residência médica) na Santa Casa. Segundo ele, o hospital era pequeno se comparado a hoje, mas mesmo assim era o maior da região.

Na época, de acordo com Roseiro, os médicos tinham uma formação generalista, as especializações médicas começaram na década de 1960, até então, eles atendiam todos os pacientes. Para ele, a tecnologia contribui muito para a precisão de um diagnóstico, a formação em especialização permite ao profissional maior conhecimento e aprofundamento da área, diferente de quando ele iniciou sua carreira. “Nós éramos médico de família”, tínhamos um contato muito próximo com os pacientes, como não tínhamos os recursos tecnológicos atuais, precisamos examinar minunciosamente e conhecer os pacientes para chegar a um diagnóstico”, lembra.

Na Santa Casa, Roseiro foi chefe da enfermaria clínica feminina por 30 anos, diretor clínico de 1986 à 1992, implantou os serviços de anestesia e gastrenterologia. Além disso, foi Secretário Municipal de Saúde Municipal na década de 1960, ocasião em que foi para o Rio de Janeiro aprender sobre um novo sistema de saúde, implantado aqui, um ano depois – o SASSOM (Serviço de Assistência e Seguro Social dos Municípios de Ribeirão Preto) – que segundo Roseiro, foi um modelo amplamente difundido em outras cidades.

Ao lado de outros médicos, Roseiro acompanhou as mudanças desta instituição centenária, ele ressalta que o hospital possui uma estrutura diferenciada, que acompanhou os avanços da medicina e da tecnologia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *